Dexmedetomidina: Um Fármaco Versátil da Anestesia Moderna

Autores

  • Jedson dos Santos Nascimento
  • Joaquim Muricy Neto
  • Alvaro Wenâncio Pereira e Pereira

DOI:

https://doi.org/10.35753/rchsi.v8i1.509

Palavras-chave:

Dexmedetomidina, Perioperatoriório, Delirium

Resumo

Introdução: face o cenário atual, é importante conhecermos as diversas possibilidades de fármacos no contexto perioperatório. A dexmedetomidina vem ganhando espaço relevante nesse contexto. Apresenta diversas aplicabilidades clínicas, com uma farmacocinética e farmacodinâmica peculiar. A dexmedetomidina tem início de ação após aproximadamente 15 minutos, possui meia-vida alfa e de 6 minutos e meia vida Beta de 2 a 2,5 horas. A droga é altamente ligada às proteínas, com uma fração livre de 6%, além de ser metabolizada no fígado. É um potente agonista altamente seletivo de receptor Alfa 2, produz hipnose com “sono reparador”. Materiais e Métodos: foi realizada uma pesquisa nas principais bases de dados da literatura (Pubmed, Lilacs, Scielo) dos termos “Dexmedetomidina” e “perioperatório”, com objetivo de realizar uma atualização sobre a dexmedetomidina para avaliar seus aspectos farmacológicos e aplicabilidade clínica no perioperatório. Resultados e Discussão: foi evidenciada redução no delirium pós-operatório em diversos ensaios clínicos randomizados e metanálise, participando como adjuvante em estratégias de sedo analgesia para cirurgia de fratura de fêmur e com impactos positivos na redução de déficit cognitivo pós-operatório. Além disso, reportamos estudos como adjuvante de anestésicos locais para prolongar a duração do bloqueio do nervo periférico e reduzir o consumo de opioide. A dexmedetomidina apresentou possíveis impactos na prevenção de depressão pós-parto precoce, com ênfase em efeito antidepressivo, e também parece atuar na recuperação acelerada do íleo pós-operatório. Conclusão: diante da literatura revisada, foram evidenciados dados promissores quanto ao benefício do uso da dexmedetomidina como uma alternativa em estratégias de sedação e adjuvante em anestesia geral e regional, com o objetivo de reduzir a incidência de disfunção cognitiva pós-operatória, aceleração da função gastrointestinal e poupar opioides no intraoperatório.
Palavras-chave: Dexmedetomidina; Perioperatoriório; Delirium.

Introduction: Given the current scenario, it is essential to explore the various possibilities of pharmacotherapy in the perioperative context. Dexmedetomidine has been gaining significant attention in this context. It presents several clinical applications with a peculiar pharmacokinetic and pharmacodynamic profile. Dexmedetomidine has an onset of action of approximately 15 minutes, with an alpha half-life of 6 minutes and a beta half-life of 2 to 2.5 hours. The drug is highly protein-bound, with a free fraction of 6%, and is metabolized in the liver. It is a potent and highly selective agonist of the Alpha 2 receptor, inducing a state of "restorative sleep." Materials and Methods: A search was conducted in the primary literature databases (PubMed, Lilacs, Scielo) using the terms "Dexmedetomidine" and "perioperative," aiming to provide an update on dexmedetomidine to evaluate its pharmacological aspects and clinical applicability in the perioperative period. Results and Discussion: Reduction in postoperative delirium was evident in various randomized clinical trials and meta-analyses, with dexmedetomidine as an adjuvant in sedoanalgesia strategies for femur fracture surgery and showing positive impacts on reducing postoperative cognitive deficits. Additionally, studies were reported where dexmedetomidine was used as an adjuvant to local anesthetics to prolong the duration of peripheral nerve block and reduce opioid consumption. Dexmedetomidine showed potential impacts on preventing early postpartum depression, with an emphasis on its antidepressant effect, and also appears to act in the accelerated recovery of postoperative ileus. Conclusion: Based on the reviewed literature, promising data regarding the benefits of dexmedetomidine use were evident as an alternative in sedation strategies and as an adjuvant in general and regional anesthesia, aiming to reduce the incidence of postoperative cognitive dysfunction, accelerate gastrointestinal function, and spare opioids during the intraoperative period.
Keywords: Dexmedetomidine; Perioperative; Delirium.

Publicado

2024-03-31